Quer saber mais?

Preencha o formulário. Nós ligamos para você.

China: cada vez mais perto da gente e do mundo inteiro


Que o Gigante Asiático é o maior parceiro comercial do Brasil há mais de uma década, você com certeza já sabe, mas você sabia que as transações comerciais entre Brasil e China e com o restante do mundo vem crescendo cada vez mais, principalmente após a pandemia do novo coronavírus? 🤔

Reunimos informações divulgadas pelo Ministério da Economia e pela imprensa brasileira nos últimos dias pra você entender esse crescimento e seus motivos, continue a leitura e fique por dentro.


Há 20 anos os números da relação com o continente asiático e o Brasil só crescem: em 2001, as transações comerciais eram de 14%, passaram a 38% em 2019 e, no ano passado, chegaram a 42%. Além do Brasil, no ano passado a China também cresceu as importações e exportações com a União Europeia, tornando-se o maior parceiro comercial do bloco europeu, superando os Estados Unidos. Além de crescer a relação com outros países também.

Esse crescimento no ano passado da China se deve à forte recuperação do país asiático pós pandemia, que no final de 2020 superou o nível do consumo de um ano antes. Porém, esse motivo não é único: a dinâmica de crescimento ao longo das últimas duas décadas é resultado do rápido desenvolvimento econômico do país e dos seus investimentos internos.

No ano passado, em uma série de conteúdos que produzimos sobre o Gigante Asiático, o nosso parceiro Eber Pinho, da Real Trading, que há anos trabalha com negociações com a China, explicou que os incentivos e políticas internas contribuíram muito para a China ser o que conhecemos hoje. Segundo Eber, o líder do governo chinês anterior investiu muito em infraestrutura no país, tornando algumas cidades referência no quesito. Já o atual, tem como principal foco a educação. Ao investir em educação e proporcionar novas oportunidades, está aumentando a migração do interior para as grandes metrópoles e, consequentemente aumentando o consumo dos chineses. Ou seja, é daí que podemos justificar o aumento das importações no país.

Também, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Maurício Santoro, professor de relações internacionais da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, explicou que essa disparada da Ásia “ocorreu principalmente devido a uma grande reforma econômica na China no final dos anos 1970 – que impulsionou uma onda de industrialização da Ásia. Inicialmente, houve investimentos em setores com o uso intensivo de mão de obra. Aos poucos, porém, esses países foram se desenvolvendo e ganhando escala na complexidade tecnológica”, trouxe a matéria. Assim, com mão de obra qualificada, excelente infraestrutura, menor carga tributária e custos mais baixos, o crescimento da exportação chinesa para o mundo é inegável.

Transações comerciais Brasil x China

Quando falamos especificamente do Brasil e China, o gigante asiático há mais de uma década se mantem como o nosso primeiro e maior parceiro comercial. No ano passado, as transações comerciais entre Brasil e China foram mais do que o dobro do que as do Brasil com os Estados Unidos.

Para a China, o que mais vendemos foi a soja, o minério de ferro e o óleo bruto de petróleo. Já nas compras “made in China”, destacam-se as plataformas de perfuração, partes de celulares e televisão.

Entretanto, apesar desse aumento das importações e exportações do Brasil com a China, devemos lembrar que as compras ainda são muito mais significativas: um quinto das importações brasileiras vem da China, mas isso representa menos de 1,5% de tudo que os chineses vendem para o mundo. Até porque, convenhamos, qual é mesmo o tamanho da China? Comprar e vender para 1% do mercado chinês já vale muito!

E é por esse tamanho e todos os motivos trazidos nesta matéria, que as relações com a China são cada vez mais promissoras. Se você está pensando em ingressar neste mercado, lembre-se que desenvolvemos uma série de conteúdos com dicas sobre como e onde começar, e por aqui contamos com experiência no assunto e nessas relações. 😊

Quer saber mais? Olha esses materiais: