Quer saber mais?

Preencha o formulário. Nós ligamos para você.

Como o Coronavírus pode impactar nas operações de comércio exterior?


O novo Coronavírus, surgiu na China e já infectou, até o momento, 20.630 pessoas, em 24 países, em 4 continentes. Com a sua propagação, nossos alertas precisam estar ligados!

O que você verá hoje:

Coronavírus: O que é, quando surgiu, onde surgiu, quais as principais áreas afetadas, como é transmitido?
– Relação comercial entre Brasil e China;
– A importância da China quando falamos em importação e exportação;
– Prorrogação do feriado chinês.

Vamos lá!

Coronavírus: o que já sabemos?

O novo Coronavírus (2019-nCoV) recebe esse nome porque sua estrutura de proteína lembra uma coroa. Em dezembro de 2019, houve uma série de casos de pneumonia com a origem desconhecida na capital chinesa de Wuhan. No início de janeiro deste ano, cientistas chineses identificaram o novo Coronavírus e relataram, em estudo publicado na revista The Lancet, que as primeiras pessoas contaminadas haviam estado em um mercado de frutos do mar, demonstrando, assim, a origem animal do vírus.

Todos os casos fora da China são de pessoas que viajaram ao país recentemente – não há, até o momento, nenhuma ocorrência de contaminação fora do país. Até agora, houveram 426 mortes causadas pelo 2019-nCov, quase todas na China – exceto uma nas Filipinas. Mas o registro de casos de transmissão entre pessoas em outros países acendeu um alerta para a OMS.

No Brasil: O Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou em entrevista coletiva em 28/01/2020, que o Ministério da Saúde está acompanhando os casos suspeitos no país. Até o momento, há 13 casos suspeitos, mas nenhum confirmado. Todos viajaram à China recentemente.

Recomendações

A OMS recomenda as seguintes medidas para evitar a contaminação por Coronavírus, que servem também para outras infecções respiratórias:

– Evite contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;
– Lave as mãos com frequência, principalmente antes das refeições e após o contato com pessoas doentes ou com ambientes em que elas tenham frequentado;
– Evite contato desprotegido com animais rurais e silvestres;
– Se tiver sintomas de infecção respiratória, tente espirrar ou tossir cobrindo a boca e o nariz com um lenço ou o braço;
– Caso apresente sintomas de doença respiratória e tiver viajado recentemente para a China, contate um serviço médico.

Relação comercial entre Brasil e China

Atualmente a China é o nosso maior parceiro comercial, tanto para o destino das exportações, como para as importações de empresas brasileiras. A maior parte da produção de empresas daqui depende de insumos, maquinários e outros produtos vindos de lá.

Devido a esse cenário, como a China é o maior importador mundial, a exportação de commodities brasileiras — ou seja, mercadorias produzidas em escala, cujo valor é definido pela oferta e procura internacional — deve sofrer redução.

Segundo o presidente executivo da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, o Brasil seria prejudicado num primeiro momento por queda de preço e num segundo momento, dependendo do tempo que durar esse alerta pela doença, pela queda da quantidade de produção exportada.

Em 2019, quase 20% das importações brasileiras vieram da China. Dentre elas estão: itens manufaturados, prontos ou em peças a serem montadas aqui, além de outras tecnologias. No ano passado, a China ficou em 1º lugar no ranking das exportações brasileiras, ou seja, é também o principal destino das nossas exportações.

Prorrogação do Feriado Chinês

A China possui um calendário de feriados diferenciado por conta do ano novo lunar, este ano, o feriado do Ano Novo Chinês começou no dia 24/01 e teria terminado no dia 30/01 se não fosse pela epidemia do Coronavírus que afetou o país. Com a intenção de prevenir ainda mais a propagação do vírus, o feriado foi prorrogado e o governo chinês recomenda fortemente que as pessoas evitem entrar e sair do país.

O Ano Novo Chinês por si só sempre afeta as exportações e importações, pois além das fábricas pararem, os portos e aeroportos também param. Agora, com o feriado prolongado em virtude do vírus, muitos embarques oriundos e com destino à China também vão atrasar. As linhas marítimas estão operando sem restrição até o momento. Porém, alguns armadores já comunicaram atraso nas suas operações e algumas companhias aéreas já declararam embargo para rotas envolvendo o país.

Espera-se um acúmulo de cargas nos portos e aeroportos de todo o Brasil, com isso, a tendência é que os valores de ambos os modais sofram alteração. Além disso, as empresas devem aumentar o volume de pedidos junto aos fornecedores chineses, já que os estoques tendem a reduzir, uma outra opção é buscar fornecedores em outros países, o que pode sobrecarregar outras rotas.

Em uma nova medida para conter o avanço do Coronavírus, o governo chinês decidiu estender o período do feriado até o dia 3 de fevereiro. Já Shangai, retorna às atividades apenas no dia 10. Porém, é esperado que algumas empresas não abram as portas e outras trabalhem em esquema de plantão, pois as jurisdições locais podem estender esse prazo se a situação continuar crítica.

Os principais centros industriais da China suspenderam suas operações, e as empresas governamentais e de prestação de serviços estão procurando alternativas para que as pessoas não saiam de casa, como o homeoffice, por exemplo. O setor industrial e de produção está parado e sem previsão de retorno.

Precauções do governo brasileiro

O governo brasileiro vem adotando medidas de orientação e controle para um possível atendimento aos casos suspeitos no país. Mas, você sabe o que acontece se um navio ou uma aeronave relatar um caso suspeito de Coronavírus a bordo? Confira abaixo:

– O navio ou aeronave não recebe autorização para operar e ninguém pode desembarcar;
– A Anvisa e a vigilância epidemiológica vão a bordo para inspecionar e avaliar o paciente;
– Caso a suspeita seja mantida, a pessoa é removida para um hospital de referência;
– Se o caso for confirmado, a Anvisa e a vigilância epidemiológica fazem uma avaliação sobre o procedimento com as pessoas que ficaram a bordo.

No caso de navio ou aeronave que já haviam iniciado a operação quando o caso suspeito apareceu, a Anvisa manda suspender a operação do navio ou aeronave e as pessoas devem ficar a bordo.

Importante mesmo é ficar sempre atento às notícias que influenciam o comex no Brasil e no mundo! E aí, gostou desse conteúdo? Então se inscreva na nossa newsletter e fique sempre por dentro das novidades 😉

Abraços,
Equipe Freitas