Quer saber mais?

Preencha o formulário. Nós ligamos para você.

Dica do especialista Freitas: Fique atento aos Incoterms!


Hoje chegamos à última Dica do Especialista da série. Durante três meses compartilhamos dicas e informações que fazem parte do comércio exterior a partir da experiência da nossa equipe técnica.

Foram vários os assuntos abordados: rateio de peso na importação, NF de exportação, marcação/rotulagem de produtos, certificado de origem na exportação, ajustes operacionais para empresas com anuência da Anvisa, cota de importação e, hoje, para finalizar, o assunto é Incoterm.

O nosso objetivo com os conteúdos quinzenais foi esclarecer dúvidas, ajudar você a relembrar procedimentos ou mesmo conhecer novas informações que, de alguma forma, podem impactar nos processos da área.

Agradecemos a todos que participaram e acompanharam essa série e, em primeira mão, informamos que vem mais novidade por aí. Acompanhe! 😉

Incoterm

A dica de hoje tem relação com os Incoterms, como são conhecidos os termos padrões do comércio exterior. Nós já explicamos por aqui que os Incoterms fornecem padrões gerais de distribuição, das despesas e riscos com o transporte de mercadorias do comércio exterior, facilitando a relação e evitando interpretações diferentes de país para país. Também já falamos das tendências para o próximo ano, com as alterações previstas (clique aqui e confira).

Hoje, a nossa dica é quanto as previsões ou vendas com Incoterm que transferem na totalidade ou quase no todo as responsabilidades e riscos entre os envolvidos, seja importador ou exportador. Você já os utilizou? Conforme Jhonathan Vieira, especialista em exportação da Freitas, esses Incoterms podem apresentar alguns riscos e até mesmo custos não previstos e/ou orçados entre os fornecedores, então a dica é: utilize apenas em operações necessárias!

Separamos algumas dicas dos imprevistos que habitualmente ocorrem, independente do agente de carga contratado para ficar mais fácil de você entender:

Incoterm EXW

O Ex Works, também conhecido pela sigla EXW, é um Incoterm amplo, podendo ser utilizado em qualquer modalidade de transporte (terrestre, marítimo ou aéreo) e colocando toda a responsabilidade no processo do envio para o comprador. Com ele, toda responsabilidade de custos da fábrica fica por conta do importador: a única responsabilidade do vendedor é disponibilizar a mercadoria embalada em suas instalações para ser retirada.

Neste caso, geralmente os agentes designam um despachante próprio para o exportador incluir no radar e/ou dependendo da aduana ou canal solicitam até mesmo uma procuração. Assim, nosso especialista ressalta: “Neste cenário o representante – até o momento desconhecido – poderá ter acesso a todos os dados de comércio exterior da empresa no período em que estiver vinculado”. A dica é que o exportador indique então para essa negociação com o agente, ou que assuma o despacho, com um representante legal de sua confiança.

Outro ponto de atenção é que diversos portos e/ou recintos de liberação fazem o faturamento das despesas de movimentação, pesagem e scanner diretamente ao emitente da NF de exportação, isso já é habitual do sistema deles. Nesses casos, após o embarque o exportador recebe essas taxas que muitas vezes não estão previstas nem orçadas para o importador. Segundo Jhonathan, até mesmo para solicitar um novo faturamento para o responsável alguns terminais cobram taxas e, em vários casos, pelo fato de não ter sido orçado o exportador acaba assumindo. A dica é que o exportador alinhe antes da coleta a responsabilidade dessas taxas com agente e/ou preveja uma margem para absorver esta despesa.

Há ainda outra questão: canal de conferência no despacho. Ainda que o Incoterm preveja liberação na origem por conta do importador, se o processo parametrizar em canal vermelho e gerar despesas não previstas em virtude de trâmites extras ou até mesmo não conformidades por conta do exportador, dificilmente o importador aceitará as despesas e dependendo da carga os custos podem ser extremamente elevados. A dica então é que o exportador informe o importador e agente que existe a disposição de canal de conferência no Brasil ou trabalhe com uma margem nos valores para absorver essas despesas sem deduzir diretamente dos lucros.

Incoterm DAP, DAT e DDP

Nesses casos as responsabilidades do exportador vão além da entrega no porto/aeroporto/cidade no destino. O exportador paga parte da movimentação conforme cada Incoterm e até mesmo a entrega total, incluindo desembaraço e impostos no caso do DDP.

Com esses Incoterms, as operações no exterior são habitualmente contratadas através de terceirização e o exportador normalmente não tem contato direto com o fornecedor no exterior. Além disso elevar os custos, pode diminuir o controle sobre as cargas. Veja só: a transportadora será uma contratação de um agente exterior, que por sua vez foi contratado por um agente na origem e esta, contratada pelo exportador. “Em suma é terceirização, quarteirização e assim sucessivamente, e o fato de não se ter acesso ao fornecedor no exterior de certo modo diminui o controle e gera problemas no retorno”, alerta Jhonathan.

Outro ponto são as despesas não previstas: ainda que os agentes de cargas tentem prever diversas despesas, existem fatores alheios que podem aumentar e muito os custos. Exemplos disso são as mudanças de rotas logísticas por acidentes, o canal de conferência no exterior, greves, erros na liberação no exterior, entre outros fatores.

De acordo com o nosso especialista, caso o importador contrate os fornecedores diretamente, ele poderá usar de valores menores e até mesmo os benefícios fiscais no exterior que em alguns casos o terceirizado desconheça. “A responsabilidade do exportador é extremamente alta, o importador cobrará o exportador diretamente, independente se a falha e/ou atraso seja dele ou de um terceirizado no exterior”, alerta. Assim, escolher bons agentes de cargas para estas operações podem diminuir estes riscos.

Gostou das nossas dicas? Nossos especialistas continuam à disposição para esclarecer qualquer dúvida e/ou te ajudar com qualquer problema! Entre em contato com a gente!

Abraços,
Equipe Freitas