Quer saber mais?

Preencha o formulário. Nós ligamos para você.

Importação de produtos metalúrgicos: como evitar problemas e custos extras nesta operação


Chapas de aço, barras e outros metais são presença confirmada na lista das principais importações do Brasil e fazem parte de uma cadeia produtiva muito grande. No ano de 2019, a importação de produtos metalúrgicos representou 2,8% de todas as importações brasileiras e ficou na sétima colocação entre todos os segmentos. Neste ano, entre janeiro e junho, passou da sétima para a quinta colocação e, no período, representou 4% das importações.

Entretanto, a importação de produtos metalúrgicos tem vários desafios e são necessários alguns cuidados para a operação ser mais tranquila, rápida e, principalmente, lucrativa.

Assim, se você é um importador do segmento ou potencial importador, este material é especial para você. Destacamos os três principais desafios enfrentados neste mercado e algumas dicas para você ter mais sucesso neste tipo de operação. Confira! 👇


Lucros sim, prejuízos não

Quando você faz uma operação, não é de prejuízos que você está atrás, certo? Então neste tipo de importação todo cuidado é necessário: o segmento metalúrgico geralmente tem uma margem de lucro pequena, tem poucos benefícios fiscais e ainda corre o risco de ser taxado com o antidumping.

Antidumping é um conjunto de medidas, direitos e procedimentos para evitar que produtores nacionais sejam prejudicados por importações realizadas a preços de dumping, ou seja, quando uma empresa vende um produto para um novo mercado por um preço inferior do que costuma praticar.

Assim, antes de iniciar o processo de importação é importante verificar se o produto possui antidumping. Em caso positivo, mesmo se a importação for amparada com regimes especiais de isenção ou suspensão de tributos, o recolhimento do antidumping é obrigatório e deve ser feito na DI, caso contrário, além do recolhimento, há uma multa de 75% sobre o valor antidumping.

Na importação de produtos metalúrgicos, outro ponto muito importante quando o assunto é custos é a logística: o custo da movimentação e armazenagem é muito grande e o que pode parecer apenas um detalhe pode fazer grande diferença, a gente te explica melhor na terceira dica.


Descrição das mercadorias

O segmento metalúrgico é bastante controlado no Brasil, então é preciso muita atenção na hora de descrever a mercadoria importada. O assunto fica ainda mais sério com a necessidade de trazer a composição química da matéria-prima, como a medição dos elementos químicos do material importado.

A dica para evitar multas nesse caso é contar com equipamentos específicos que fazem a medição dos elementos químicos, um bom técnico ou a confiança e exigência das informações com o fornecedor. E é aí que chegamos no ponto mais importante.


Instruções ao fornecedor

É muito comum exportadores preferirem operações com incoterms onde podem controlar parte da logística também aqui no Brasil, e se você acha que isso pode gerar menos trabalho, fique atento! Existe uma série de regras e cuidados que devem ser tomados na importação e, se o exportador não atende-las, a conta final pode sobrar para você.

Assim, na hora de importar preste mais atenção com compras que utilizam o CIF ou CFR, pois parte da logística fica a cargo de quem está exportando e você precisa instruir o fornecedor sobre a emissão de documentos e também cuidados no transporte.

Sobre a documentação, há documentos que precisam ser emitidos antes do embarque, como a licença de importação, por exemplo. É só com o deferimento da LI que a DI pode ser registrada, se houver divergência nas datas, podem ocorrer multas.

Quando falamos em frete, o cuidado redobra. Se o seu estado possui algum tipo de benefício fiscal, é importante instruir o fornecedor a organizar a rota com entrega direta no seu estado, caso contrário você não consegue usufruir do benefício. Com o estado acertado, é importante verificar se o porto de destino recebe este tipo de carga: geralmente os metais são transportados como cargas break bulk e não é todo tipo de terminal que a opera e a armazena.

Mas como lembrar de tantos detalhes para fazer essa instrução ao fornecedor? A gente veio para te ajudar: no banner abaixo você pode baixar gratuitamente um checklist com várias dicas para esse tipo de operação, inclusive com as instruções ao fornecedor.

Baixe, salve e confira sempre que precisar para não esquecer nenhum detalhe. 😉

Checklist: saiba como evitar problemas e custos extras na importação de produtos metalúrgicos