Tag Archives: Mitos Certificação OEA

Quer saber mais?

Preencha o formulário. Nós ligamos para você.

3 mitos sobre a certificação OEA

Falar em certificação OEA às vezes assusta, né? Você já pensa na quantidade de mudanças no seu dia a dia e investimentos financeiros. Mas e se falarmos que essa é uma visão distorcida? O processo não é doloroso e custoso, ele só precisa de um pouco do seu tempo e, claro, da sua vontade! 😊

A certificação é sim muito mais do que um certificado, é uma questão de cultura, mas tudo acontece pelo seu olhar e sua autoavaliação.

A gente separou três mitos comuns sobre a certificação OEA para te ajudar a entender um pouco melhor, olha só. 👇

OEA é apenas para grandes empresas

Mito. Não há tamanho para buscar a certificação, e sim desejo pela melhoria contínua. É mais comum que pequenas e médias empresas não tenham seus processos e responsabilidades desenhadas, e nem um setor específico para olhar para isso. Assim, muito melhor fazer uma autoavaliação e organizar a casa antes de crescer, não é mesmo?

OEA vai querer mudar toda a minha rotina e vai me dar mais trabalho

Mito. Muitas pessoas correm da certificação OEA com medo que ela traga mais trabalho e responsabilidades, mas isso não é verdade, pelo contrário: o OEA vem para te ajudar!

Quando falamos em mudanças pela certificação, falamos em entender o que precisa melhorar: o processo é feito por pessoas e cada um olha para o seu nicho, a sua área de atuação, para avaliar o que há de bom e o que precisa melhorar. E olha que isso não é de uma hora pra outra: é gradativo e no seu tempo.

A gente participou de um processo muito bacana com uma empresa onde, com o OEA, o colaborador conseguiu implantar várias ações que achava necessário: suas ideias ganharam voz e seu dia a dia foi simplificado.

OEA requer muitos investimentos

Mito. É recorrente o medo de que a certificação vai exigir mudanças na estrutura da sua empresa, implementação de câmeras de alta tecnologia ou outros tipos de investimentos, mas não é bem assim.

O que a certificação faz é mapear os riscos e identificar como podem ser evitados ou minimizados, quando você vai implementar melhorias necessárias, se necessárias, fica a teu critério. A decisão de investimento é da empresa, não é do OEA e nem da Receita Federal.

Por exemplo, se é necessário fazer algum investimento, você pode decidir iniciar pelos mais baixos agora e os mais altos daqui um tempo. Talvez sejam necessárias apenas pequenas adaptações, como, por exemplo, realocar o ângulo de câmeras de segurança do armazém, ao invés de trocar todo o sistema de segurança. Tudo é avaliado pela empresa, por você.

Assim, para finalizar, uma grande verdade da certificação: a participação dos colaboradores é imprescindível. O certificado OEA não é o fim, mas o início do processo: ser OEA é vivenciar, é uma cultura.

Se você decidiu por esse caminho, ficamos muito felizes pela sua decisão e estamos à disposição para te ajudar! Quer saber um pouco mais? Nos dê um alô! 😉

Abraços,
Equipe Freitas